Saturday, December 02, 2006

Finitude humana

Há uma certeza que nos persegue e que está subjacente à nossa vivência ... sabemos que, da mesma forma que nascemos, uma das etapas da vida é o seu terminus. Vista com veneração e sofrimento por algumas religiões, que inclusivamente desvalorizam a vivência terrena, em função de uma outra vida, real ou idealizada, a ideia da morte é certamente algo que atemoriza uma grande parte das pessoas. Apesar de reconhecermos a sua existência, tal facto nem sempre nos leva viver de uma forma mais feliz, já que, uma necessária inconsciência prevalece, permitindo-nos experimentar cada dia como se a infinitude nos acompanhasse. Se assim não fosse, recusaríamos arriscar, agir de forma impulsiva ou passaríamos a vida atormentados, já que procuraríamos controlar toda e qualquer situação. Por outro lado, o mundo poderia ser um lugar melhor, se a consciência desta limitação temporal da vivência humana, nos encaminhasse para a felicidade. Mas, se considerarmos que a nossa felicidade nem sempre coincide com a de outras pessoas significativas… Acredito que se valorizamos a vida e procuramos tirar dela o máximo partido, podemos encarar este suposto fim, como a confirmação do valor da nossa existência. Afinal, o mais importante é Viver, é Ser! Thanks Johnny pelos momentos de reflexão... be happy :)

8 Comments:

At Sunday, December 03, 2006 , Blogger znlgvx3 said...

E incrivel a importancia da finitude. E ela que nos leva a procurar as pessoas, as coisas, os sentimentos e as emocoes, e as nao deixar sempre para amanha. E ela que nos leva a balancar e ponderar as decisoes, que nos obriga a fazer escolhas, a ser responsaveis e respeitar os outros, a amar e desejar estar com os outros.
E a morte e nada mais que a concretizacao do conceito de finitude, e a sua forca, a sua arma.
A morte e o motivo que temos para viver.

 
At Sunday, December 03, 2006 , Anonymous Anonymous said...

Quando era miúdo,certo dia o meu pai,em claro sinal de afeição,passou-me as mãos pelos cabelos...Tinha 8 anos e não sabia o significado que tal gesto poderia comportar....
Há cerca de 4 anos,perdí o meu pai para sempre,em condições algo trágicas,uma vez que acompanhei-o nas traseiras da ambulância,completamente sozinhos,equanto tentava reanimá-lo com respiração boca/boca...enquanto o desespero tomava conta de mim e tentava lutar para o prender à vida,sentia que,a pouco e pouco,desfalecia...A dor e o tormento eram enormes,pois sentia uma enorme impotência para o ajudar a agarrar-se à vida...Enquanto o meu pai jazia na maca,fui assolado por um turbilhão de sentimentos,de divera ordem...sentia dor,compaixão,angústia,raiva por Deus nos privar da sua presença...Naquele preciso momento,despedia-me,com consciência de um ser querido....Hoje,sinto a grandeza desse momento que,apenas com 8 anos de idade,ignorei por completo..A sua mão nos meus cabelos significava amor,ternura e segurança,que não soube interpretar....O que mais lamento,foi durante a minha vida,absorvida por mesquinheces do quotidiano,nunca ter tido a capacidade de lhe dizer:gosto de si,pai...Sinto uma falta enorme da sua presença,das suas palavras...Mas,quero olhar para o céu e saber que ele está lá,onde merece estar, e que não mais sofrerá a dor de ter vivido neste planeta ao qual graciosamente chamamos Terra....
A menagem que vos quero transmitir que não desperdicem um segundo que seja para amar,para sentir e fazer sentir tudo o que vos vai na alma...Não se percam em futilidades e vivam o momento como se não houvesse amanhã...Aprendam a sonhar e a partilhar os vossos sonhos,com determinação e coragem...Ousem estar presentes,onde tantos outros estão ausentes...Façam o semnelhante sentir-se bem com a vossa presença..Abracem,se quiserem abraçar...Beijem,se fôr esse o vosso desejo...Amem,acima de tudo,com a convicção e força dos vossos gestos...Porque,se assim não fizerem,sentirão mais tarde o peso das vossas opções e carregarão na alma para sempre,tal como eu carrego, a dor de não ter dito,em tempo oportuno,Amo-te,pai....

 
At Sunday, December 03, 2006 , Anonymous Miss Poetry said...

Dear Poet:
Sim, se for encarada numa perspectiva positiva, a finitude, pode tornar-se a força da vida!
Beijo muito especial...

 
At Sunday, December 03, 2006 , Anonymous Miss Poetry said...

Anonymous:

Muito obrigada pela partilha de algo tão íntimo :)
As perdas fazem-nos realmente ver bem mais além...
Partilhar com os outros o nosso amor, aquilo que sentimos é das coisas mais importantes da vida...
beijinhos de felicidades.

 
At Sunday, December 03, 2006 , Anonymous Anonymous said...

Curioso...Por vezes,pensamos que as pessoas reconhecem-nos,pelo simples facto de sentirem a interioridade das nossas palavras...Outras tantas,vemos que assim não é....

 
At Monday, December 04, 2006 , Anonymous Anonymous said...

Caro Johnny:

Reconheço quem deseja ser reconhecido... ;)
Uma vez mais obrigada.

 
At Tuesday, December 12, 2006 , Blogger Gonçalo said...

Não consegui ignorar a mensagem do Anonymous, de facto foi algo muito íntimo e emocionante, bastou-me umas palavras para ficar com os meus olhos retidos no seu comentário...Para ti, Anonymous, acredito que o teu pai onde quer que ele esteja sabe bem o amor que sentes por ele e acredito que a pouca retribuição afectiva que lhe deste deveu-se à tua pouca maturidade. Felizmente aprendeste uma lição de vida que te fez crescer e isso é o mais importante, devendo ser encarado com optimismo. A lição de vida relativamente ao presente e que nos indica a paixão pela vida e a abertura afectiva para o próximo, mostrando o bem pelo próximo quando o sentimos...
Relativamente ao tema "Finitude humana", posso referir que a morte é algo que ainda não lido muito bem, já li algumas coisas sobre o sentido da vida e da morte e continuo a sentir dificuldades em lidar com o fim da vida. Por isso, prefiro falar um pouco no sentido da vida que acredito que esteja intimamente ligado com o sentido da morte e, sendo assim, acredito numa vida feita de momentos de crescimento pessoal em função da missão de vida a cumprir. Todos nós em algum momento das nossas vidas já pensou porque vive ou porque aconteceu isto ou aquilo...A minha explicação não passa pelo mundo do acaso, das coincidências ou da falta de sentido das coisas...Acredito que tudo o que nos acontece pode ser um impulsionador do nosso crescimento pessoal se estivermos atentos à mensagem do destino e actuarmos em sua função, tanto nos momentos bons como nos menos bons.
Para mim é lógico pensar assim e acreditem que a vida é mais fácil desta forma, diminuindo os problemas e intensificando as alegrias:)
Pensem nisto e, se conseguirem, tentem viver assim;)

 
At Tuesday, December 12, 2006 , Anonymous Miss Poetry said...

Amigo Gonçalo:
Quase todos os acontecimentos de vida têm potencial de crescimento, resta-nos encontra-lo :)
Estará assim tão determinado o nosso destino?
Beijinhos

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home

online Free Web Counter
Free Counter